09/08/2010

Drama em quatro atos


ATO I

Coração falou:
- Oh… ele é tão adorável.
A razão logo interveio:
- Vamos pesquisar.



Nesse ponto, coração (C) e razão (R), que quase sempre não andam de mãos dadas, passaram a enumerar algumas características do Basset Hound. Uma de cada vez, alternadamente:
C: Olha essa carinha: orelhudo, lindo, pedindo para levá-lo para casa…
R: Ele não é muito grande para apartamento?
C: Ah… ele é baixo. Médio porte, eu diria. E… ele é doce, ótimo com crianças!


R: Sim, mas crianças só virão mais para frente. E quanto ao fato de não suportar estar só?
C: Nosso outro cão bastará a ele! E, além disso, não passamos o dia fora.
R: Mas ele não tende a uivar, o latido dele não é alto?
C: Nosso outro cão dará o bom exemplo: ele é silencioso! Em último caso, existe a coleira anti-latido à base de…


R: Ixi… ele está na 71ª posição do ranking de inteligência canina! Será que vai aprender a fazer xixi e cocô no lugar certo?
C: E daí que ele está nessa colocação? Nosso Shih Tzu está apenas uma posição na frente e aprendeu a fazer xixi e cocô no lugar certo em duas semanas!
R: Mas e o cheiro “ativo” de cachorro? Será que ele fede mesmo?
C: Ah… não deve cheirar tanto assim. E, aliás, Basset fedido é Basset estressado.
R: Hum… e essa pelagem curta, será que solta muito pêlo?
C: Os pêlos que caem são compensados pela não exigência de uma escovação diária. Veja o caso do nosso Shih Tzu, o trabalho que nos dá.
R: É… bem… deixe-me ver…
C: Ah… ele é leal, companheiro, engraçado.
R: Ok, você venceu.


ATO II

R: Será que fizemos a coisa certa? Você anotou bem o nome da tal coleira? Pode ser que precisemos importar dos Estados Unidos…
C: Que isso, você vai ver como seremos uma família, quer dizer, uma matilha feliz!
Sabedoria (S), então, que de vez em quando aparecia na história, aconselhou:
S: Estão com um filhote de Basset em apartamento? Comprem um livro de adestramento para ensinarem-no a fazer as necessidades no local correto.


Algum tempo e dinheiro depois…
R: Minha nossa, ele não aprende a fazer as necessidades no local correto! Vai ser burro assim lá naquele lugar onde Judas perdeu as botas!
C: É…bem… deixe-me ver…
Confusão (CONF) então, que é intrometida, logo sugeriu:
CONF: Se eu fosse vocês dava esse cachorro!
No trabalho, Razão se explicava:
R: É… neste momento não estou estudando muito porque estou com outros problemas, quer dizer, projetos na minha vida. É temporário, espero.


Confusão, então, intrometia-se de novo:
CONF: Se arrependimento matasse, hein?
Sabedoria veio em nosso socorro:
S: Se não quer ajudar, também não atrapalhe!
Ao chegar em casa, Razão desabafou com Coração:
R: Acho que essa foi a maior burrada que fizemos em nossa vida… O Basset, em nosso apartamento, virou nossa vida de pernas para o ar! Você percebeu? Ficamos tensos, estressados quando ele late e olha que late pouco. E o regimento interno do condomínio, que não aceita cães de grande porte? Ele está tomando demais o nosso tempo, mais tempo do que dispomos, está nos consumindo, essa é a palavra! E esse choro todas as manhãs? Mas o que mais me irrita é ele não aprender a fazer xixi e cocô no lugar certo. Já compramos dois livros, já espalhamos jornal suficiente, já compramos removedor de odores, já estabelecemos uma rotina de comida, ele tem o exemplo do Shih Tzu, nós o recompensamos, tentamos o ignorar quando faz errado, importamos até um clicker para auxiliar no adestramento… mas nada.


C: O que você quer dizer com tudo isso?
R: Estou pensando seriamente em devolvê-lo aos criadores.
Essa história é cheia de intrometidos. E não poderia faltar a Culpa (CUL):
CUL: Nossa, mas fazer isso com o bichinho, coitadinho… vocês é que são ruins, são maus, vocês é que estão cheio de problemas e colocam a culpa no pobre do cachorro. Ele não pediu para estar na casa de vocês!
Confusão (CONF) surgiu de repente:
CONF: Quem mandou? Agora aguenta que o filho é teu!
C: Vamos tentar de novo.
Razão concordou.


ATO III

R: Minha nossa, eu sabia algo de adestramento antes de ter o Basset Hound? Onde estávamos com a cabeça quando adquirimos esse cachorro? Estávamos tão apaixonados pela raça que ignorávamos seus “defeitos” como acontece quando nos apaixonamos por alguém…
Prudência (P) interveio:
P: É melhor vocês doarem o cachorro logo antes que se apeguem a ele. Quanto mais o tempo passar, mais difícil será.
Coração, que andava meio sumido da história, então, chorou copiosamente:
C: Eu não posso fazer isso com ele! E se ele não se adaptar à nova casa? Esse focinho dele é a coisa mais linda que já vi, ele é tão engraçado… Recuso-me a aceitar que posso ter interferido de forma negativa no destino dele!


R: Basset Hound: ame-o ou deixe-o.
C: Deixá-lo nas mãos de qualquer um? Mas nunca! Ou eu não me chamo “coração”!
R: Tudo bem: ame-o ou não adquira um! Com ele, não tem meio-termo. Mas já que o adquirimos, doemo-lo a quem de confiança! Farei uma cartilha com todas as informações.
C: Quanta frieza, respondeu coração aos prantos. Vamos tentar mais uma vez… ele é apenas um grande bebê…
R: 3 a 0 para você.


ATO IV

Razão e Coração sentiam-se cansados, tristes, pois os planos da família foram-se para os ares. Razão e Coração sentiam que o cachorro dava mais peso que alegria, mais desgosto do que gosto. Enquanto Razão matutava consigo mesma, Vaidade (V) deu o ar da (des)graça:
V: Agora eu quero ver! Vão doar o lindo cachorrinho que passaram horas, dias pesquisando para encontrar?
R: Vaidade, cale essa boca! Se eu continuar com esse cachorro, o que eu vou ver é mais xixi e cocô pela casa inteira! Isso sim! Me diz uma coisa: por um acaso é você que sai três vezes por dia com ele e, em casa, quando vira as costas ou acaba de acordar, tem mais xixi e cocô para limpar? É você que já gastou mundos e fundos para ensinar sem obter êxitos eficazes, é você que…
Consolo (CONS), então, entrou em cena:
CONS: Vem cá, vocês devem satisfação da vida de vocês a alguém? Alguém ousa saber o que se passa na casa de vocês? Receio que não.
Razão, então, disse a Coração:
R: É… acho que dessa vez não passa. Na realidade de nossas vidas, essa será a decisão mais sensata a se fazer. Baixemos nossas cabeças, humilhemo-nos: doemo-lo e deixemos a verdade vir à tona.
C: Porque a verdade liberta, não é?
R: É.
C: Até que ele complete um ano de vida, depositarei na conta do novo dono uma quantia referente ao valor da alimentação. Sinto que tenho um débito com o Basset e, dessa forma, sentirei-me melhor.
R: Justo. Façamos assim.

Na árdua luta travada entre razão e coração, quem venceu foi a humildade. Ela permitiu que Coração e Razão reconhecessem os próprios erros, tivessem a ousadia de visualizar alternativas e a coragem para, efetivamente, agir.


Esta história é baseada em fatos reais.  Sherlock foi doado a familiares que moram em uma casa (não apartamento), em Goiânia-GO. O vídeo sem edição, a seguir, é da casa onde o Sherlock está morando agora. Foi gravado, por minha sogra, pela câmera de um celular (perdoem-nos a qualidade da imagem).


Um guia foi preparado para auxiliar na criação do Sherlock pelos novos donos. Agradeço à minha mãe, que, em uma conversa despretensiosa – e aliás vinda de uma ligação equivocada para nossa casa -, foi uma das responsáveis por abrir caminho a uma doação consciente e, tão importante quanto, sem sentimentos de culpa. Agradeço também à Camilli, que nos serviu de agradáveis e preciosos consolos. Acreditamos (eu e meu marido) ser possível ter um Basset Hound em apartamento e sabemos que existem pessoas felizes nessa condição. As fotografias ao longo do texto retratam alguns dos felizes momentos desfrutados na companhia do Sherlock. Todavia não consideramos adequado ou ideal ter um cão dessa raça em apartamento. Desse modo, se nos perguntassem se aconselharíamos ter um Basset Hound em apartamento, NÓS diríamos um sonoro NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

Leia também:
Qual a melhor raça para apartamento?
Abortando uma missão
Cachorro não é para ser problema

31 comentários:

Gigi e Lola 09/08/2010 09:48  

Nossa...nesse um mês parece que muita coisa aconteceu, tanto com você como comigo, vc.doou seu cãozinho e eu perdi para a eternidade o meu Pai, meu grande herói!
Depois de ver o vídeo vi o qto feliz está o Sherlock, com espaço para brincar...só me ficou uma dúvida...e o Aurélio, como reagiu a tudo isso???

Beijinhos

Gigi

Anônimo,  09/08/2010 10:20  

Sabe, preciso dizer, fiquei contente quando vi que tinha post novo aqui, e um tanto decepcionada com o tal post novo. É uma pena que para os seres humanos seja "fácil" resolver alguns problemas do dia a dia. Devíamos sim ser mais sensatos antes de tomar decisões para não termos arrependimentos futuros, mas muitas vezes não acontece assim. Pobre dos bichinhos...acho sim que com o tempo ele vai se acostumar com a nova família, até por que ele não tem muitas outras opções não é?
Não estou julgando ninguém, cada um tem que fazer o que acha melhor na sua vida....apenas vim colocar meu sentimento pra fora um pouco. E que essa história (triste pra mim) fique de lição para quem está pensando em ter um companheiro em casa, da trabalho sim, e exige muita dedicação.

Paula

Ana Corina 09/08/2010 14:22  

Oi Adri,
Errar é humano. Persistir no erro é burrice. Se o Sherlock está melhor, por pior que vocês estejam, é o que interessa. Já que vocês foram atrás dele, são responsáveis pela sua felicidade e bem-estar, ainda que para isso tenha sido necessário doá-lo.

De resto, amiga, acho que eu só o castraria (porque BHs podem ser bastante fujões) e manteria contato sempre, para o caso dele precisar de vocês no futuro.

Falem o que falarem, se ele está melhor agora - e acredito que sim - é isto que interessa. A lição aprendida é imensa e caso vocês queiram aumentar a família há inúmeros peludos esperando por um lar, inclusive vários shihtzus, lhasas, yorkies, SRDs e outros cães que viveriam melhor em um apartamento.

Beijo, querida.

Tula Verusca 09/08/2010 15:11  

Infelizmente eu previ esse final.
Sim, vocês não devem nada a ninguém.
Sim, isso foi o melhor para o pequeno.
Fico feliz que ele tenha encontrado uma casa para morar... por que INFELIZMENTE Basset Hound deve morar no quinta.

O cheiro é forte, muito pelo muito coco muito mais problemas que felicidade hehehhehe

Aliás é o que eu acho mais próximo de um filho: basset hound em apt.

Mas agora vc ainda tem o lindo-belo-gato Aurélio heheh

Rachel Barbosa 10/08/2010 07:21  

Passei por um drama parecido quando comprei meu schnauzer. Ele era difícil, quase um selvagem quando comparado ao poodle que eu já tinha. Foi o adestrador e amigo que me dissuadiu da idéia de doá-lo. 5 anos depois ele continua sendo um animal difícil, mas aprendemos a conviver, nos amar e nos respeitar. A sua situação foi diferente, até pelo tamanho que o Sherlock ficará. Embora as pernas sejam curtas, o basset é um cão grande. Além disso, é sempre mais complicado ter cães de caça em apartamento. Você e o Sherlock ficarão bem. Tenho certeza. Bjs

Camilli Chamone 10/08/2010 08:27  

Felizes são os que extraem o bom, das experiências difíceis.
E, olha o Sherlock, aí: não é pura felicidade?

:)

Carol S. 10/08/2010 19:01  

Adriana minha cunhada e sogra moram em apartamento e tem um basset hound a coisa mais linda do mundo, quando era bebê era um amorzinho, logo veio a época de destruir coisas, enquanto meu cachorro destruia sandalias havaianas e ossinhos o basset destruia a casa, acabou com todos os móveis da sala e do quarto da minha cunhada, comeu todas as paredes até hj tem os buracos. Hj ele deve estar com um três anos pesa uns 30 kilos, é enorme, ninguém consegue carrega-lo, solta um pêlo desgraçado pela casa inteira, quando estou lá vejo ela varrendo a casa 3,4 vezes por dia. Sem dizer os uivos, ele não late muito em compensação chora DEMAIS, e chora muito alto, é realmente muto incomodo o barulho q ele faz, porém elas tem sorte de morar nu prédio pequeno q não tem tanto rigor quanto a isso, em outro prédio de fato ele já teria sido expulso. Minha cunhada, super novinha, vive em função do cachorro, quando sai de casa volta logo pois sabe q ele fica chorando e desesperado, fico até com pena dela. Eu tenho um pouco de medo dele, às vezes ele sobe em vc e agarra suas pernas, mas não pra fazer safadezinhas sabe, é como se ele quisesse te derrubar no chão, sei lá. Enfim esse basset é um fardo na casa da minha sogra, já peguei inclusive ela chorando pois não agunetava mais, ele da muito trabalho. Sua decisão foi a mais sensata, tbm nunca concordei em criar essa raça em apt, pq eles parecem frágeis mas não são e são um tanto burrinhos mesmo, o dela até hj não faz xixi no jornal. Saiba q ele vai estar muito bem na nova e enorme casa com quintal pra ele correr =D

Carol 16/08/2010 15:09  

Ai caramba.... fiquei triste e feliz com essa historia...
Triste pq é sempre ruim se desfazer de um cachorro (passei por isso com um Beagle que tb JAMAIS pode viver num apartamento), mas feliz pq ele conseguiu uma casa com espaço.
Que ele seja muuuuuuuuuuuuuuuuuuito feliz!! E vcs tb!!

Beijinhos.

Amanda 09/09/2010 11:23  

Olá!
Nossa, fiquei super hiper mega maxi chateada com o post. tenho um Basset Hound, Bartolomeu, com 5 meses (completando hoje, parabéns pra ele!!). Moro numa casa, mas quando não estamos lá o Bartolomeu fica preso. Quando chegamos, porém, ele é desepserado pra sair, passear, cheirar, brincar... e adora!! Não vou julgar a decisão que vocês tomaram, mas acho que nunca teria coragem de me desfazer do pequeno (pequeno não, né... gigante! já pesa 16 quilos). Concordo que ele dá muito trabalho, que é preciso paciência, zelo, e etc, etc, etc... Mas estou realizando um sonho de muitos anos tendo um BH, e já sabia que teria de passar por isso. Inclusive, criei um blog para compartilhar as etapas do crescimento dele... visitem lá: http://meubassethound.blogspot.com/. De qualquer maneira, não se sintam culpados! A vida é assim mesmo, o importante é que o Scherlok está melhor assim.
Ah, só uma última informação: o Bartolomeu ainda não sabe fazer suas necessidades no lugar certo também! :(
Beijos a todos!

Anônimo,  20/09/2010 13:02  

Oi. por favor gostaria de saber como vcs fazem para o aurelio estar sempre com a boquinha seca e branquinha nas fotos, porque o meu está sempre com o bigode encharcado. ps: quantos cm tem o aurelio?

Adriana Diniz 20/09/2010 14:57  

Oi!

Sempre mantenho o Aurélio tosado e uso um bebedouro chamdo bebedouro de bilha, que impede o cachorro de se molhar todo.

Porém esse bebedouro tem o contra de inibir um pouco que o cachorro beba água à vontade. Dessa forma, se for usar o bebedouro de bilha, incentive seu cachorro a beber bastante água nele. Sugiro que leia este artigo:

http://www.cachorroverde.com.br/comedouros.php

Alguns Shih Tzus, porém, naturalmente perdem o branco da pelagem, o que parece não ter ocorrido ainda com o Aurélio.

O Aurélio também faz uso da alimentação natural, o que fez com que a mancha provocada pela lágrima ácida desaparecesse.

Mais sobre a Alimentação Natural (AN):

http://www.cachorroverde.com.br/

Abraços!

Kamila 23/11/2010 16:54  

Oi Adri!

Conforme nossa troca de e-mails, aí vai minha experiência...
Antes do Jorge (meu Shih Tzu) vir pro nosso apê, eu e meu marido decidimos ter um Basset Hound: O Walter! Linnnndoooooooo! Meigo, Tchuco! Ele já tinha 6 meses. Aquela carinha é incomparável! Mas não deu certo... Ele era muito grande e muito gordinho. Quero deixar claro que AMO cachorros e nunca faria mal a um. Mas só quem vive entende. Tínhamos acabado de mudar para um apê novo, onde tudo foi feito com muito carinho, mas tbm muito sacrifício. De repente eram pêlos, xixis e cocôs por todos os lados. Meu sofá preto ficou branco de tanto pêlo, a madeira da sala começou a manchar devido a grande quantidade de xixi. Ele bebia água e antes de terminar vinha com a boca cheia, derrubando pela casa toda, claro pisava e deitava em cima, aí jah juntava um cheiro terrível! Não pq ele era porquinho, mas pela falta de espaço e ambiente adequado para essa raça (completamente diferente do que eu li em ‘’excelente para apartamentp’’). Para eu secar o xixi dele, precisava de um balde, secava com panos o xixi e torcia dentro do balde, só em um xixi eu demorava 15 minutos, pois depois tínhamos que higienizar o local. Bom, ficamos 4 dias com ele e vimos a tempo que mantê-lo em um apartamento seria tortura para ambos: Nós e ele. Doei ele a uma amiga, que tem uma casa enorme e um filho de 10 anos. Hoje ele é mega feliz, eles tem uma rotina super divertida, ele vai com ela levá-lo na escola (que é na esquina, mais que isso ele não agüenta e deita no chão.. RS).

Anônimo,  14/12/2010 14:51  

Olá Adriana!
Estava lendo hoje seu depoimento, e confesso que até chorei. Isso porque eu tenho um Basset Hound, ele fez um ano este mês. Eu e meu esposo somos apaixonados por ele, porém está muito difícil. Moramos em um apartamento, e desde o início tivemos problemas, principalmente com coco e xixi fora do lugar. Cada vez ele parece piorar. Trabalhamos o dia todo fora, chegamos em casa cansados e temos que limpar toda a casa, sem falar no mau cheiro.
Não podemos sair de casa para janTar nem almoçar nos finais de semana, pois ele começa a uivar e os vizinhos estão reclamando.
Estamos pensando no que faremos, mas estamos muito tristes pois ele faz parte da nossa vida.

Adriana Diniz 14/12/2010 18:26  

Olá Anônimo! Sei bem de tudo isso a que você se referiu:

- o trabalho sacrificial
- a abnegação dos nossos próprios interesses
- a estafa, o cansaço
- o sofrimento no só pensar em se desfazer de um cão que, sim, já faz parte de nós, apesar de todo o trabalho que nos dá.

Por isso, considero uma total falta de responsabilidade criadores de cães da raça Basset Hound venderem-nos para pessoas que moram em apartamento. A venda, nessa situação específica, só pode acontecer após amplos esclarecimentos acerca do que significa ter um Basset Hound em apartamento, com concordância expressa do futuro dono e comprador. Ter um Basset Hound em apartamento é diferente de ter um cão de outra raça em apartamento.

No seu caso, ainda há o agravante de deixar o cão ficar em casa o dia inteiro sozinho.

Muito obrigada pelo seu desabafo aqui!

Leo Souza 26/12/2010 10:50  

Que basset lindo. Sempre quis ter um, mas acabei só tendo dachshunds, kkk.

Aproveitando a chance, queria saber se você estaria interessado em fazer uma troca da banners.

Não se sinta pressionado. Espero sua resposta, seja qual for.

http://sucuarana.blogspot.com

Abraços =)

Anônimo,  15/01/2011 23:05  

Oi Adriana, tudo bem?
Meu nome é Patrícia, moro em Curitiba. Como você, sou APAIXONADA pelas minhas Shih tzus, a Nina e a Duda. Sempre pesquiso na net sobre a raça e somente agora descobri seu blog. Pena que vc não está postando mais. De qualquer forma, meus parabéns, vc escreve muito bem, os conteúdos do blog são super úteis e interessantes, passei horas agradáveis e proveitosas lendo os posts. Legal mesmo. Tomara que vc se anime em retomá-lo. Ah, li e entendi perfeitamente o "drama" que vc passou com o Basset. Eu moro em apê e achava que apesar disso a Nina (minha primogênita...hehe) precisava de companhia. Resolvi adotar uma SRD, adulta, olhar sofrido, carente, fofa, maior do que as protetoras me afirmaram por telefone, mas, voilà, foi paixão à primeira vista. Infelizmente não deu certo, ela ameaçava a Nina e todos que se aproximassem de mim, chegando às "vias de fato". Cheirava forte, soltava pêlo, anti-higiênica, tudo o que a Nina não é. Como estávamos em período de experiência, a protetora a pegou de volta. Se a Nina não estivesse sofrendo eu teria investido na reabilitação da Kate, mas não dava. Bem, há 1 ano trouxe a Duda, com 3 meses, uma Shih tzu linda, personalidade própria, claro, mas animou a nossa casa e é uma companheira inseparável e importantíssima pra Nina. Por que vc não arranja mais um Shih tzu? Menina, é tudo de bom, lindo de ver o companheirismo deles e quando elas percebem que estou observando aí dão um show de rala e rola, pega-pega, "diÁUlogos", mordidinhas, cabo de guerra, luta de "sumô", entre outras peripécias, é uma delícia. Bem, acabei me estendendo... AUbraços e tudo de bom pra vocês aí!
Patrícia, meNina e Duda

Liany,  04/02/2011 11:25  

Fiquei decepcionada ao ler este artigo. tenho um basset hound em apartamento e ele vive bem, desde que nos acostumemos ao seu cheiro natural...Ele é feliz e dorminhoco, não precisa de tanto espaço. E aprendeu a fazer suas necessidades somente nos passeios, não faz nada em casa, mesmo que o passeio atrase. Tem quatro anos de idade e levou dois meses para aprender a controlar suas necessidades.

Adriana Diniz 03/09/2011 16:16  

Quando meu basset hound se tornará um cachorro tranquilo e calmo tal como pesquisei na internet?, pergunta uma leitora de Belo Horizonte, a qual não mencionarei o nome para preserver-lhe a identidade.

Primeiramente, peço desculpas pela enorme demora em responder! Ao ler seu longo e-mail (ou testamento, como diz), sabia que eu não poderia respondê-lo imediatamente, era preciso mais tempo.

Uma das minhas motivações para manter o blog AuAuAurelio! no ar era dissuadir algumas pessoas que gostariam de adquirir um Basset Hound sem ter as mínimas condições para isso. Não é o seu caso, visto que você mora em uma CASA. Mas também vale à pena manter o blog para receber pessoas como você, que estão angustiadas com o comportamento deles!

Antes de dar dicas ou orientações, peço a licença para transcrever e editar alguns trechos do seu e-mail para que pessoas que estão pensando em adquirir um Basset Hound tenham consciência daquilo com que podem se deparar (informações essas que ainda são escassas na internet!):

Continuação no próximo comentário...

Adriana Diniz 03/09/2011 16:17  

Continuação do comentário anterior...

“Resolvi pesquisar na internet uma raça que fosse tranquila, calma, educada. (…) Adquiri minha linda Basset Hound de criadores, ela tem pedigree e garantia de toda originalidade. Acontece que minha basset é demasiadamente levada. Nunca imaginei e nem encontrei em minhas pesquisas antes da compra tal especificidade. Também nunca tive um/a cachorro assim. Ela não obedece. Brinca de morder o tempo todo. Compro quase todos os dias esses ossos comestíveis de brinquedo, pois é a única coisa que a deixa quieta por algum tempo. Quando vê meus dois sobrinhos de 5 e 7 anos (que são extremamente tranquilos) corre em direção aos mesmos e pula em cima deles levando a menor até cair ao chão devido aos seus fortes ossos e peso. Morde (de brincadeira, mas com força) a perna da calça comprida ou tênis do maior e sai puxando o mesmo, sobe em cima das coisas que consegue e sai puxando tudo e mordendo. Sei que está nova e é de brincadeira ou para chamar à atenção, mas ela está impossível. Já quebrou e/ou estragou várias coisas em minha casa. Meus sobrinhos a temem.A mesma possui de tudo, brinquedos (ursos, bolinhas, ossinhos, bichinhos de plástico mastigáveis, camas), mora em casa com um quintal grande onde birnca o dia todo, mas também tem livre acesso a casa por dentro, inclusive dorme dentro de casa em uma de suas caminhas, quando não dorme em nossa própria cama. Está atualmente com 6 meses e todas vacinas em dia.Como somos uma família pequena e extremamente tranquila, estamos desesperados e sem saber o que fazer. Por vezes me pego perguntando: onde está aquela raça de cachorro que procurei tanto na internet antes de adquirir que é bastante tranquila, bondosa, paciente, amorosa com as crianças...etc...etc...? Quando ela se tornará uma basset hound como todos que já pesquisei na internet, tranquila e calma? Nunca imaginei passar por uma experiência dessa. Apesar de amá-la e desejar-lhe o melhor, confesso me desesperar quando penso na possiblidade dela ficar assim para sempre.... Acho que estou um pouco angustiada e decepcionada.

> Leia a continuação no próximo comentário...

Adriana Diniz 03/09/2011 16:18  

> Continuação do comentário anterior...


Vamos lá! Eu imagino pelo que esteja passando, pois tive muitas dificuldades com meu Basset, situação agravada à decima potência quando estamos falando de um Basset Hound em apartamento.

Primeira coisa: Bassets Hounds são cães teimosos. Logo, não obedecem! Isso faz parte do temperamento deles. Há várias referências na internet sobre essa característica, inclusive falando que cachorros dessa raça até entendem o que os donos pedem, mas fingem não compreender! Eu desafio um profissional a adestrar esse cão!

Segunda coisa: tranquilidade. Creio estar havendo um equívoco quanto ao significado de tranquilo, uma qualidade realmente atribuída aos cães da raça Basset Hound. Cachorros dessa raça são tranquilos por não serem agressivos, por serem dóceis. Isso não significa, todavia, que são cães pouco ativos ou de baixa energia! No tempo em que meu Basset Hound esteve aqui (o Sherlock), ele simplesmente tinha mais energia e disposição que meu Shih Tzu!

Bassets Hounds são dorminhocos? Sim, mas, ao que parece, depois de muito brincar e brincar e, por fim, cansar. Claro que pode haver, dentro de uma mesma raça, cães mais e menos ativos. Mas o Basset Hound, apesar de ter um olhar tristonho, é muito brincalhão e tem muita energia para gastar antes de tirar uma gostosa soneca.

A pessoa que cuida hoje do Sherlock (sim, ele está vivo apesar de conviver com um Pit Bull), diz que ele já fez vários buracos em todo o quintal, que ele brinca o tempo todo, estraga muita coisa também… Ou seja, nós também tínhamos a esperança de que, passada a primeira fase e a troca de dentes (que faz com que mordam tudo por coçar a gengiva), nosso Basset ficaria mais calmo. Ao contrário!

Por outro lado, eu e meu marido somos testemunhas de que o Basset Hound é incapaz de fazer algum mal a alguém, mesmo criança ou outro cão. Ele é o cachorro mais dócil que conhecemos, no sentido de ser um cão da paz, longe dele ser agressivo. Ele realmente prefere fugir a enfrentar a ameaça. Resta mostrar-lhe o limite das mordidas. Afinal, morder é a forma com que o cão tem de se expresser. E o dono, ao dizer Ai!, por exemplo, mostra ao cão o limite.

Quanto a derrubar as crianças, é inevitável. Ele gosta de receber as pessoas pulando sobre elas e, como é pesado, acaba derrubando! Eu mesma já fui derrubada por um dos cães do criador ao ser pega de surpresa, na época em que visitei a criação.

Dessa forma, acredito que Basset Hound é tudo isso que você falou e mais um pouco. Para ter cachorro, é preciso vocação. Já para ter um Basset Hound, é preciso ter o dom mesmo!

Como você mora em casa, as coisas ficam muito mais fáceis (acredite!). O jeito é pensar em alternativas e estratégias para queimar toda essa energia do cão.

Observação: para tudo na vida, há exceções. Veja o caso da leitora Liany, acima.

Beijos e boa sorte!

Anônimo,  26/03/2012 00:07  

OI adriane me AJUDA!Sou Vanessa Me perdoe fujir um pouco do tema BH,seu blog era tudo o q eu precisava e torco pra q vc continue... o fato e q tenho um casal lindo de shih tzus MACHIN E PIETRA (JÃ CITEI ELES AKI ONTEM). ESTOU COM ELES A 2 MESES E ELES TEM 6 MESES,o Machim deixa eu dar banho pentear e sempre q o vejo fazer as necessidades ele faz no jornal, mas ele e MUITO SUJINHO,a carinha sempre suja e molhada e as patas e barrigas encardidas e imunda, jã troquei de bebedouro e atualmente uso um q ~e um bocal onde encaixo uma garrafa pet com um caninho metalico com esfera na ponta,se esse for o tal de bilha p meus bebes nao funcionou...

Anônimo,  26/03/2012 00:15  

continuando... Dou banho toda semana e o mMachin fica 10x mais sujo q a Pietra, q ao contrario dele se mantem bem mais limpa embora a carinha tbm fique molhada, porem menos do q o machim, mas embora a Pietra pareca uma princesa ela detesta banho e se pentear e secar, ao contrario do machim q fica quieto ela se sacode e forca fujir e sempre a surpreendo fazendo as necessidades fora do jornal, como nunca surpreendo o machim fazer isto enso q as sujeirinhas q as vezes encontro sao da pietra tbm... as qualidades dos dois juntos fazem o bb perfeito porem os defeitos tbm se complementam criando um bb sujinho, molhado q detesta ser banhado e arrumado e q faz sujeiras em todo lugar, me ajude!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo,  16/05/2012 21:53  

Nossa me vi nessa sua historia! tambem moro em apartamento e a um mes adiquiri uma basset hound de 4 meses para fazer companhia a minha pinscher... resultado: a pinscher odeia ela e estou completamente esgotada com o trabalho que é cuidar dessa bebezona em apartamento, muitos pelos soltos pela casa diariamente (mesmo eu escovando todo dia), muito xixi e coco pra todo lado, até perdi peso ja de tao cansada que estou, sem falar no estresse! Mas sabe de uma coisa, quando eu olho pra ela, meus olhos enchem d'água e o amor por ela que ja vive em mim transborda!!! Nao mentirei, já me arrependi por ter conseguido um animal de dificil criacao em apartamento sem antes me informar, mas nem passa pela minha cabeca doa-la, vende-la ou algo do tipo. Pesso pra Deus todo dia para logo me adaptar com minha nova bebe e já penso até em mudar de residencia e comprar uma casa por causa dela rsrsrs Muito obrigada pelo post, com certeza irá ajudar a quem pensa em adquirir um bebe desses mas nao conhece a raça. Abraços e tudo de bom!

Anônimo,  05/06/2012 18:35  

Nossa que estória!!
Eu estou completamente apaixonada pelo schnauzer... só penso nele.... E realmente como no ato I, eu nao estou considerando os "defeitos" da raça.
Valeu muitoooo, pois agora irei pensar melhor!!

Anônimo,  02/08/2012 17:52  

Tenho uma dupla dinamica, um shih-tzu e um teckel (dash-hund) salsicha e no começo foi a mesma coisa. Exceto que os dois continuam juntos. De vez em quando o salsicha ainda mija errado. E vamo que vamo.

É claro que o salsichinha num cresceu então deu pra levar adiante a dupla.

Anônimo,  01/09/2012 11:17  

Tenho um basset hound de 42 dias, hoje. Tenho também um dachshund. Uma esposa e uma mãe paciente, bondosa e muito inteligente. Isso me incentivou a escrever.

Meu basset hound é macho e chegou pra mim com 40 dias. Estou com ele, então, a 2 dias. Não procurei pais campeões, nada. Nem tirar o pedigree dele, eu quis.

Li esse blog.

Eu, nada li de ''como é a convivência com basset hound em apto'' antes de adquirir um basset hound. Aliás, sempre li sobre cães, sei praticamente tudo, rsrs. Desde os meus 6 anos é o que faço. E não, não sou vet., rs.

Me desculpem, mas vcs não entendem da raça.
Ele é um cão de companhia. Logo, eu fico em casa. Ou esposa. Ou mãe. E minha mãe trabalha. Ele não fica só. Meu dachshund ficava só, até hoje a chegada do Basset. Ele parece cão de guarda, rs. Mas é meigo, um amor. Não nos preparamos para chegada do Basset Hound.

Se você trabalha, a esposa trabalha, mãe, pai, avó ou avô, lembre - se: o errado foi vc por ter adquirido um basset hound por beleza, apenas. Ele precisa de atenção. Ele é teimoso e precisa de educação. Berrar não vai adiantar. Não se bate em crianças, não se grita com animais nem bate.

Ele precisa de atenção. ATENÇÃO!




Anônimo,  01/09/2012 11:19  

Porque meu cão filhotão meu em 2 dias já sabe ir até a àrea de serviço(distância do quarto é grandinha) até os jornais fazer xixi? Claro, erra de vez em quando.

Sobre babar? Quem adquiriu um basset hound sabe o que é 'atenção'? Mais uma vez...
Quando meu cão bebe água eu limpo a boca dele. (Você fica em cima dele, então? Vocês devem se perguntar! SIM, FICO! Ele dorme a maior parte do tempo, qual seria o problema de ''ficar observando - o quando ele vai beber água ? Mas também como é filhote eu o acordo para que se exercite com meu Dachshund brincando na sala e durma à noite!).


Adriana Diniz 05/09/2012 09:34  

Olá, Anônimo! Obrigada por compartilhar sua opinião aqui no blog. Opiniões diferentes das minhas, desde que respeitosas, são muito bem-vindas e enriquecem muito esse espaço, ajudando o leitor na sua busca de informações e esclarecimentos.

Não ficou muito claro para mim se você tem um Basset Hound em apartamento, mas se tem e está vivendo harmoniosamente com ele, lhe dou meus parabéns. Realmente, não é qualquer um que consegue essa proeza.

Também você é um felizardo por ter adquirido um Basset Hound que dorme a maior parte do tempo, pois o que adquiri era, ou melhor, ainda é bastante ativo. A atual dona do Sherlock disse-nos que ele não pára um minuto e já encheu o enorme quintal da casa de vários buracos!

Importante dizer que, depois da doação responsável do Basset, tanto nós como antigos donos como ele ficamos bem mais felizes. O cachorro ganhou o espaço para brincar que ele jamais teria morando em nosso apartamento.


Finalmente, ratifico a minha opinião sobre o grande transtorno que é ter um Basset Hound em um apartamento.


Adriana Diniz 05/09/2012 10:08  

Peaquisando na internet sobre textos que esclarecessem sobre a viabilidade de ter um Basset Hound em apartamento, tive duas surpresas: uma boa e outra ruim. Comecemos pela boa:

O blog do AuAuAurelio! está na primeira página de busca do Google quando o assunto é: Basset Hound é um bom cão para apartamento? Uma das razões pela qual mantenho o blog no ar, mesmo tendo parado de postar, é justamente esclarecer as pessoas quanto os prós e especialmente contras de se ter um cachorro de tal raça em apartamento.

A notícia ruim é que um dos primeiros sites que localizei sobre este mesmo assunto traz uma informação totalmente improcedente ao afirmar que o Basset Hound se destaca no quesito obediência. Seguramente, isso não corresponde à realidade uma vez que é francamente conhecido que os Bassets Hounds são TEIMOSOS e, portanto, têm uma enorme dificuldade em obedecer (podem até entender o que o dono diz, mas entre entender e obedecer há um longo caminho).

Anônimo,  06/10/2012 16:55  

Ola, Tenho um poodle, ela é muito nova e tem aproximadamente 2 meses, ela é muito agitada e adora morder todos a sua volta, você poderia me ajudar a corrigir esse problema, e também ela não faz suas necessidades no lugar certo, me fala como você faz o aurélio aprender tao rápido.

Ah...
e também a Meg(minha poodle) quando faz as necessidades se mela toda você acha que eu jé devo fazer tosa higiênica mesmo ela sendo tão novinha(2 meses). Me responde por favor...

PS: AMO O AURÉLIO !!!

Anônimo,  22/04/2013 00:55  

Na tentativa de criar um, descobri uma amiga que teve um e me falou o seguinte:


O que eu aprendi sobre basset hound com minha experiência...

1 - Fica grande. Pesquisando em sites a gente só acha a altura deles (por volta de 35 cm), mas eles ficam bem compridos, quem sabe quase o comprimento de um pastor, dálmata, algo assim. Dá pra imaginar pelo tamanhão da pata do filhote. Nada de prendê-lo no quartinho de serviço (pra dormir ou sei lá), o do meu pai tinha um quarto de verdade só pra ele no apartamento. Depois você vai ver pq..

2 - Fica bem pesado, pode chegar a 30 quilos. No mínimo 20. Claro que tem tendência à obesidade, tem que fazê-lo passear, brincar, administrar bem a comida e mesmo assim vai ficar um chumbinho. Nada de carregar no colinho, portanto.

3 - É muito chorão. Não consegue ficar sozinho por muito tempo. Se vc sai de casa ou prende ele num quarto (por causa de uma visita, dormir, essas coisas) ele late e late e late sem parar. Tem um latido muito grave e forte, os vizinhos vão adorar.

4 - Estraga e suja a casa. Por ser grande, faz cocozão e xixizão, e mesmo limpando direitinho o local onde ele faz, ele é um cachorro desastrado, pisa em cima, sai ensebando a casa toda. E principalmente, SEMPRE que bebe água (o tempo todo) ele BABA e MUITO. Tem que trocar a água infinitamente, pq a tigela vira uma poça de baba. E se vc não estiver alerta com um paninho na mão pra limpá-lo, sai levando aquele fiozão nojento pela casa, pisando, enfim.. Sujeira.
Alguns praticam o passatempo de descascar paredes.

5 - Fede. O basset hound é famoso pelo cheirinho ruim, é um cachorro naturalmente fedorentinho. E a casa vai feder também. O quarto onde dormia o do meu pai levou séculos pra perder o cheiro, mesmo depois que ele não vivia mais lá. Sem contar a parede que ficou com um descascadão e o chão que virou uma manchona branca de arranhões, xixi, produtos de limpeza etc.

6 - É um cão inteligente, mas preguiçoso e teimoso. Pode custar a aprender a fazer as necessidades no lugar certo. Ou não aprender nunca.

7 - Costuma dar um problema nos olhos que precisa operar. Como o olho é caído, o canal lacrimal pode entupir e inflamar, virando uma bolinha vermelha que tem que tirar. Entre vários outros problemas de saúde que pode dar, principalmente na coluna e patas. Nunca force as costas dele pra baixo.




Definitivamente, não é um cão pra apartamento. Nem pra ficar sozinho.
Os machos sofrem (e expressam) a solidão ainda mais que as fêmeas. Se não têm companhia e atenção constantes, ficam deprimidos e transformam a casa num chiqueiro.

Não entendo pq a gente não acha essas informações na internet, pq todo mundo fala exatamente o contrário do que essa raça é... É muito raro alguém conseguir criá-los em apartamento e ficar de fato satisfeito; a grande maioria se desfaz do bicho, muda pra uma casa, ou fica doido!

É uma enorme pena, pq o basset hound é muito bonzinho, muito apegado às pessoas, ávido por agradar, um doooce! É um bichinho com coração de ouro, mas a chance de dar certo é muito pequena, de verdade. : (

Postar um comentário

Quer comentar? Sinta-se à vontade! Saiba como.

Atenção: comentários que não tenham nada a ver com o assunto tratado nos artigos serão rejeitados. Política de Comentários.

Made in Brasília, DF, BRASIL!

  ©Template Blogger Writer II by Dicas Blogger.

SUBIR